domingo, 30 de novembro de 2008

SEMANA DE ANDANÇAS 2


Agrupamento de Escolas Baixa / Chiado

A convite do Centro de Recursos do Liceu Passos Manuel, em Lisboa, tive oportunidade de visitar as escolas do 1.º Ciclo do agrupamento Baixa / Chiado. A jornada teve início a 25 de Novembro na EB1 Luísa Ducla Soares, continuou de tarde na Eb1 de S. José e no dia seguinte na Eb1 das Gaivotas e no próprio Liceu Passos Manuel.
Em cada escola, por pequenos grupos, apresentei os me us livros infanto-juvenis aos alunos, li alguns poemas e dinamizei alguns jogos poéticos. A receptividade foi fantástica. Em algumas escolas tive oportunidade de tomar um café e conversar com os professores.
Refira-se que esta visita se situa no âmbito da iniciativa desenvolvida pela Biblioteca Escolar / Centro de Recursos do Passos Manuel e genericamente designada de “Encontros com Escritores”. Acolheu já a Margarida Fonseca Santos (a 11 de Novembro) e contará ainda com a presença de Alice Vieira (21 de Janeiro de 2009) e de António Torrado. Não resisto a confessar: “Eu, em boas companhias”. Uma palavra especial de agradecimento se impõe: ao Fernando Faria (responsável do Centro de Recursos) pelo acompanhamento e à Magda Costa pelo convite. Obrigado e parabéns a ambos!

EB2/3 de Leça do Balio

De Lisboa para a EB 2/3 de Leça do Balio, foi um saltinho de pardal. Nesta escola está a decorrer a feira do livro, na biblioteca, local que se encheu para a apresentação dos livros “Rondel de Rimas para Meninos e Meninas” e “Poemas da Bicharada”, na Quarta-feira de manhã. Nesta visita, fui acompanhado por Sónia Borges, a ilustradora do segundo livro.
As perguntas finais foram interessantíssimas e revelaram que os alunos prepararam com esmero a visita, lendo os livros e estando atentos à apresentação inicial.

EB1 de Oliveira de Azeméis

O fim da manhã de Quinta-feira trouxe-me uma surpresa: a turma do 4.º Ano da EB1 de Oliveira de Azeméis sabia de cor e salteado (quase) todos os “Poemas da Bicharada”. Constituiu uma verdadeira comoção ouvir dizer, de cor, e com musicalidade, os poemas do livro.
Aos mais pequenos (de outras turmas) li poemas do “Rondel de Rimas para meninos e meninas” e disse poemas inéditos que muito os divertiu.

EB1 de Santa Apolónia (Coimbra)

Porque “de pequenino é que se torce o pepino” estive, na Sexta-feira de tarde, com os pequenos escritores da EB1 de Santa Apolónia em Coimbra que participaram com os seus poemas e ilustrações no livro “Por Ser Natal”: o Nuno Vieira, a Diana Coimbra e a Beatriz Fontes (na foto).
Nesta apresentação estiveram todos os alunos da escola, os ex-alunos do 4.º Ano (do ano transacto) e alguns pais e familiares. Foi uma festa singela, mas significativa; sobretudo pela percepção de que a literatura é beleza que congrega e reúne e que é património de todos os que se lhe dão.
Centro de Arte Manuel de Brito

Em Algés, no Palácio Anjos, há um centro de arte com uma colecção muito interessante (Paula Rego, Vieira da Silva, Júlio Pomar, Graça Morais, António Dacosta, entre outros) que se preocupa em fazer chegar a arte aos mais novos. Assim foi, na noite do seu 2.º aniversário, com a actividade “SonhArte no CAMB” (Centro de Arte Manuel de Brito).
Não é todos os dias que um Centro de Arte tem tal ousadia nem é todos os dias que uma criança pode passar a noite (literalmente) entre quadros de pintores tão importantes e participar em actividades pensadas exclusivamente para eles.
A noite começou com uma visita guiada às diversas salas em que, para além da guia, participaram a fadinha, Fernando Pessoa e uma criança obstinada com pedidos à sua mão (a partir de um texto de Álvaro Magalhães). Seguiu-se um espaço de descontracção, com desenhos e brincadeira. Ceou-se e cantaram-se os parabéns. Depois, “chichi, cama”, quer dizer, vestir o pijama e ocupar os colchões devidamente preparados.
E foi então, um pouco antes da meia-noite, que eu, João Petiz contei histórias e disse poemas sobre bichos: o coelhinho branco e a formiga rabiga, o Cuquedo, o Pinto Borrachudo, as adivinhas de Carlos Pinhão entre outros, finalizando, para “induzir” o sono com o texto de Luísa Ducla Soares: “Todos no Sofá”.
Adorei participar nesta festa! Creio que este foi o modo mais ousado e, simultaneamente, divertido de festejar o aniversário do CAMB. Os meus parabéns!

sábado, 22 de novembro de 2008

FESTIVAL DE POESIA DE FOZ CÔA 2

Não sabia exactamente o que era um Festival de Poesia quando me desloquei a Vila Nova de Foz Côa. E descobri que se trata de um encontro de poetas com os alunos e leitores das escolas daquele concelho. A mim, juntamente com os poetas Amadeu Baptista e José Braga-amaral (na foto), coube-me a sorte do contacto com os alunos e professores da Eb1 de Freixo de Numão, a alguns quilómetros de Côa. O que fizemos foi simples: falamos dos nossos livros (os publicados e/ou a publicar), lemos alguns textos e respondemos às perguntas dos alunos.
O encontro (festival) durou todo o dia. Eu só pude participar de manhã.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

NA ESCOLA SECUNDÁRIA C/3.º CICLO DE ADOLFO PORTELA, ÁGUEDA

O Cuquedo é muito assustador, prega sustos a quem estiver parado no mesmo lugar”.

Esta expressão de Clara Cunha serve na perfeição para mostrar que os professores e alunos da Escola Secundária C/3º Ciclo de Adolfo Portela, em Águeda, são gente destemida, que não fica parada no mesmo lugar. E por isso organizaram a Feira do Livro, convidando-me para, como contador de história e autor, dinamizar um bocado das passadas tardes de segunda e terça-feira.

Assim, na qualidade de João Petiz, contei as história do "Cuquedo" (de Clara Cunha) e os contos tradicionais portugueses, o "Coelhinho Branco e a Formiga Rabiga", o "Pinto Borrachudo" e disse alguns poemas sobre a bicharada. Na qualidade de autor, apresentei sumariamente cada um dos meus 8 livros para crianças.
O que mais destaco: a participação activa e interessada de todos os alunos.

sábado, 15 de novembro de 2008

FESTIVAL DE POESIA DE FOZ CÔA


SEMANA DE ANDANÇAS


O BICHINHO DE CONTO

Óbidos é linda! São muitas as razões para visitarmos esta vila histórica. Acrescente-se mais uma: o Bichinho de Conto, a livraria, galeria e editora do Pedro e da Mafalda Milhões. É, de facto, um espaço novo e diferente, verdadeiramente inovador onde tive o prazer de estar como autor e como editor da Trinta Por Uma Linha no passado Domingo, rodeado de pessoas que escutaram, perguntaram, disseram de sua justiça o que pensavam da edição de livros infanto-juvenis em Portugal. Eu adorei… o dia, o lugar, as pessoas!

ESCOLA BÁSICA DA PEDRULHA, COIMBRA

O dia era de S. Martinho, castanhas e vinho, mas quem nos juntou foi a Rainha Santa Isabel, as rosas e o seu perfume. Desde manhã cedo até meio da tarde os alunos desta EB visitaram a Biblioteca e tiveram oportunidade de me ouvir falar de “A Menina das Rosas”, de “ver” as ilustrações e de captar o perfume de paz que atravessa esta história de ficção em que os personagens são históricos.
AS CONVERSAS SÃO COMO AS CEREJAS

A Casa da Cultura de Coimbra promove mensalmente um evento / encontro em que as conversas são como as cerejas, isto é, têm o rumo e o tom que lhes der cada um dos presentes. O convidado deste mês fui eu, como autor. Assim, falei sobretudo dos meus livros, do processo de escrita, ilustração e edição, do Plano Nacional de Leitura e das consequências boas e menos boas deste plano, do projecto “A Poesia na Escola”, entre outros assuntos. E também escutei, com atenção crítica, as opiniões distintas e as experiências diferentes. Foi um fim de tarde do dia 12 delicioso, com conversas e cerejas misturadas.

EB1 DE NORTON DE MATOS

Ainda em Coimbra, no dia 13, visitei a EB1 Norton de Matos para apresentar os meus livros, sobretudo os ImProvérbios, cujas ilustrações estão expostas na Biblioteca. Tive oportunidade de rever os professores desta escola que o ano transacto colaboraram comigo no Programa “A Poesia na Escola” e de conversar com todas as turmas, ler poemas, responder a perguntas e, mais uma vez, perceber como a poesia, quando vai à escola, faz bem.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

MANHÃS DE HISTÓRIAS

Há escolas que dão importância à oralidade das histórias. Sim, porque as histórias não têm só letra de forma, têm também uma voz, um tom, um jeito arguto de se imporem quando lidas em voz alta.

Aconteceu exactamente isso nas manhãs dos dias 5, 6 e 7, na Livraria Salta-Folhinhas. Tive o privilégio de ler poemas, contar histórias, fazer jogos verbais e ajudar a desenhar para 6 turmas do Colégio Alemão da Cidade do Porto. Para mim, a experiência teve o gosto das vozes da manhã.

Mais uma vez acompanhado pela bicharada, a dos poemas, dos contos tradicionais populares portugueses, das rimas infantis e dos desenhos deixados em painel colocado para o efeito.
As meninas e meninos adoptaram o cãozinho Lóló e os seus amigos, o Alegria, o Bonifrate, o Liberdade, sem esquecer o macaco João, e todos os do Sofá da Luísa Ducla Soares, sobretudo o João Preguição.

Outra aprendizagem fantástica que estes momentos possibilitaram foi a da escuta, esse exercício massajador da mente, que dinamiza tantos mecanismos de criatividade, de expressão e de comunicação.

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS DE AGOSTO Leonor Riscado apresenta, na revista Pais & Flhos, do mês de agosto, o meu livro &qu...