sábado, 30 de maio de 2009

MAIS ANDANÇAS

1. Deslocação a Lisboa - Nos dias 18, 19 e 20 acompanhei Amadeu Baptista na sua visita a várias escolas da zona de Lisboa. Em Odivelas, apresentei o meu “Poemas para Brincalhar”, estudado por algumas turmas do 1.º Ciclo.
2. A 21 e 22 participei nas Sementes de Leitura, uma iniciativa da Escola Superior de Educação Paula Frassinetti, no Porto. Orientei duas oficinas: uma sobre “Leituras para a Infância: o Contador de Histórias” e outra sobre “Estratégias de escrita criativa para crianças”.
No dia 22 participei numa mesa, moderada pela Teresa Cunha da Salta Folhinhas, com Maria Emília Traça sobre a A Teia da Oralidade e concretamente sobre O fio da palavra em Trinta por uma linha

3. EB1 de S. Miguel de Nevogilde – No dia 25, visitei a EB1 de S. Miguel de Nevogilde (Porto) tendo passado quase todo o dia a apresentar os meus livros e a conversar com os alunos e os professores. Uma pequena Feira do Livro, organizada pela “Mãos à Arte”, serviu de motivo e de cenário ao encontro.

4. EB 2/3 de Taveiro – Coimbra – No dia 27, vivi um dos momentos de rara beleza na vida de um escrevinhador. Os alunos do 6.º A e 6.º B da Eb 2/3 de Taveiro, reuniram-se na Biblioteca Escolar, para lerem para mim alguns textos dos meus livros, devidamente orientados pelas professoras Dilma Rasteiro, Leonor Negrão, Maria João Caldeira e Paulo Martins. A dado passo do encontro foi surpreendido – absolutamente surpreendido – quando os alunos cantaram para mim os poemas “Antão era pastor” e “A canção do Atchim” do meu livro “Poemas para Brincalhar”, com música do professor Paulo Martins.
Ainda houve tempo para responder às perguntas colocadas pelos alunos.

5. Os primeiros passos – No dia 29, pela manhã, visitei com a Anabela Dias, a ilustradora dos “Poemas para Brincalhar”, o “Colégio Os Primeiros Passos”, no Porto. Leram-se poemas, falaram-se das ilustrações, responderam-se a perguntas, deram-se autógrafos gostámos muito da visita.


6. EB1 do Meiral – No mesmo dia, de tarde visitei o Jardim de Infância e a Eb1 do Meiral, em Canidelo, V. N. de Gaia. Esta escola convida todos os anos um escritor para conversar com os alunos e autografar livros. Foi o que fiz: de tarde apresentei os livros aos alunos e à noite, na Feira do Livro, autografei dezenas de livros. Gostei da iniciativa: convidar os pais para virem à escola, à Feira do Livro e conhecerem o escritor que esteve com os seus filhos é uma muito boa ideia. Adorei o dia e a visita.

domingo, 17 de maio de 2009

SEMANA DE ANDANÇAS 4

A Poesia na Escola

Na passada segunda-feira tive o privilégio de estar com os professores de Leça da palmeira a conversar sobre a poesia na escola. Foi um momento verdadeiramente gratificante em que procurei apaixonar os professores pelo ensino da poesia em razão das suas virtualidades no desenvolvimento do entendimento e da aprendizagem. Ler, interpretar e analisar, (re)escrever são estratégias com que a poesia se entranha na escola.

Na EB1 / JI Central de Ferreira e Gilde

Na terça-feira foram os alunos de Ferreira e Gilde que me receberam entusiasticamente, lendo e encenando para mim breves textos dos meus livros. Apresentei-lhes os livros publicados, falei-lhes de outros a publicar e respondi às perguntas de todos.
Eis como alguns “viram” a minha visita à sua escola: Na EB1 de Caminha

Na quinta-feira foi a vez de Caminha, bem lá no norte de Portugal, me receber. O encontro valeu por tudo, mas permita-se-me que destaque dois momentos particularmente significativos: a declamação para todos do meu poema “O Verão, os irmãos e a Primavera” (do livro “Rondel de Rimas para Meninos e Meninas”) pelos meninos do Jardim de Infância e a encenação (re-criada) de “A Menina das Rosas”.
Importantes foram também as palavras de acolhimento do Vereador da Educação da Câmara Municipal e o café, seguido de almoço e de novo café, com os professores. Fiquei já convidado para uma próxima vez.
Ficam as fotos a testemunhar:

Em Sobral de Monte Agraço

Ontem, Sábado, em Sobral de Monte Agraço, quase às portas de Lisboa, fui surpreendido, em primeiro lugar com as instalações da Biblioteca Municipal, uma antiga cavalariça, agora soberbamente adaptada; depois surpreendeu-me a quantidade e qualidade da participação dos meninos e meninas presentes nas duas sessões realizadas. O objectivo era “dizer” poemas da bicharada e “contar” histórias com bichos. E foi muito fácil, tal a participação e entusiasmo dos presentes. Este dia e lugar ficou guardado na minha memória.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

EU, VISTO PELA MAFALDA MILHÕES

A propósito do VII Encontro de Literatura Infanto-Juvenil, ocorrido em Pombal nos passados dias 08 e 09 de Maio, a Mafalda Milhões (do Bichinho do Conto, em Óbidos), excelente ilustradora ofereceu-me, no término do encontro, a caricatura da minha pessoa (elaborada para um dos folhetos). Foi um gesto que me sensibilizou na conclusão de um encontro excelente. Obrigado à Mafalda pela caricatura e à Sónia Fernandes pelo encontro.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

ANDARILHO EM BEJA

Ao Sul, a poesia tem outra planura e partilha-se melhor, mais serena e demoradamente. Foi esta experiência que pude viver nos três dias – 27, 28 e 29 de Abril - que passei em Beja, visitando escolas, a convite da Biblioteca Municipal. Já sabia da excelência do acolhimento e do trabalho desenvolvido pelos responsáveis desta biblioteca, sobretudo da Cristina Taquelim e equipa, desde As Palavras Andarilhas, mas agora pude participar deste trabalho.

No dia 27 visitei a EB2/3 de Santiago Maior (na biblioteca da escola) tendo apresentado os meus livros aos alunos do 3º e 4º anos desta escola, lendo vários textos e respondido às inúmeras questões colocadas. De tarde, visitei a EB 2/3 de Santa Maria.
O dia terminou na Biblioteca Municipal, na Gruta do Conto, a dizer poemas e a contar histórias da bicharada para um pequeno grupo de crianças (muito pequenas) acompanhadas pelos seus pais.

No dia 28 estive de novo em Santiago Maior, desta vez para trabalhar com o 3.º Ciclo (uma turma do 8.º ano e duas turmas do 7.º anos). O trabalho consistiu numa breve oficina de escrita / poética criativa. Começamos por tentar desvendar os “mistérios da escrita”, descobrimos que “a poesia é uma ilha rodeada de palavras” (o que é, de que fala e quem a pode escrever), entrevemos o que é ser poeta e, por fim, aventurámo-nos em exercícios vários de poesia (tendo em conta a magia das rimas, as estruturas rítmicas e outras).
Para mim, foi uma experiência fascinante. Gostei especialmente do interesse manifestado por todos e do encanto que pude verificar nos participantes.
Ao fim da tarde, vivi outro momento extraordinário. Reuni-me com o “Papa-Livros”, um grupo de crianças e pais que se reúnem regularmente para ler em conjunto. Espantoso foi ouvir (às vezes, quase soletrar) os mais pequenos, os maiores e os adultos ler os poemas dos meus livros. Habitualmente sou eu que leio para…; foi muito gostoso ouvir ler para mim… os meus textos. Adorei este encontro: as leituras, as perguntas, a familiaridade, o gosto pela leitura e pelos livros. Simplesmente uma maravilha.

No dia 29, tive o grato prazer de me encontrar com os alunos do 4.º ano da EB 1, nº5. O espaço do encontro foi a magnífica biblioteca da escola, em edifício autónomo e devidamente embelezado. De novo, tive o prazer de ouvir ler e reler textos escritos pelos alunos, a partir dos meus “Improvérbios” e dos “Poemas da Bicharada”. Como é bom verificar que a poesia faz poetas!
A conversa a propósito dos livros e da poesia foi animada (e muiiiiito interessante).

Ao início da tarde e já no regresso a casa, fui a Beringel, à Casa do Povo, onde funciona provisoriamente o 1.º Ciclo. Encontrei, como acontecera de manhã, alguns “Papa-Livros” da véspera. As perguntas, devidamente preparadas, proporcionaram um diálogo muito elucidativo para todos (eu incluído).

E assim terminou a minha aventura por terras do Alentejo.
Algumas notas se impõem:
1) A Cristina Taquelim, a sua equipa e demais colaboradores da Biblioteca Municipal foram inexcedíveis na preparação das visitas, no acolhimento, no acompanhamento e na amizade demonstrada. Obrigado.
2) Os professores das diversas escolas visitadas prepararam adequadamente as mesmas, possibilitando o contacto e a leitura prévia dos livros. E trabalharam a partir deles. Obrigado também.
3) A Hora do Conto e os Papa-Livros foram duas experiências que me marcaram positivamente e que me disseram como e quanto é possível trabalhar, de modo escondido e silencioso, pela leitura.
4) Impressionou-me a quantidade de utilizadores da Biblioteca Municipal. Era uma multidão de gente, lendo, escutando música ou simplesmente estando e conversando. Foi fantástico perceber que por aquelas bandas a Biblioteca é um lugar onde as pessoas vão e estão, em redor dos livros.


Obrigado por me fazerem dar-vos a papar livros!

Amo-te - Poemas para gritar ao coração (2.ª edição)

A propósito da 2.ª edição do livro "Amo-te - Poemas para gritar ao coração", edição bilingue, retomamos uma entrevista ao " ...