terça-feira, 20 de julho de 2010

CASA GRANDE NO PLANO NACIONAL DE LEITURA

Foi actualizada a lista dos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura. Depois do "Rondel de Rimas para Meninos e Meninas" mais um livro meu foi recomendado: "A Casa Grande - Manifesto de Cidadania".

sábado, 17 de julho de 2010

AMO-TE NA NOTÍCIAS SÁBADO

Na revista “Notícias Sábado” do DN e JN de hoje, na secção IN’ Livros, o meu livro “Amo-te”, com ilustrações de Ângela Ferreira é apresentado, como livro de poesia, do seguinte modo:

Assumem-se como “poemas para gritar ao coração”, ideais para termos por perto se porventura surgir um arroubo amoroso inesperado. Fortemente impressivos, os poemas aqui reunidos falam de amores tão intensos quanto violentos, capazes de arrebatar até os mais contidos: «Amo-te intempestivamente / como se guardasse um vendaval nas meninas dos olhos / ou um punhal desmanchando-me a carne: / és um extenso sismo [levedando-me]»

OS MISTÉRIOS DA POESIA EM AMARES

No passado dia 15 estive em Amares, com meia centena de professores a descobrir “Os mistérios da escrita de poesia para crianças”. Esta acção de formação foi promovida pela Câmara Municipal no âmbito do Programa de Itinerâncias 2010, da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas.
Assim, passamos (deliciosamente) o dia a sentir a força das palavras e a tentar lucidamente definir o inefável, porque (confirmamo-lo) de poeta e louco todos temos um pouco e a poesia não é propriedade privada de ninguém e há algumas ferramentas que se não nos tornam poetas, permitem-nos sondar-lhe a anatomia, ao sabor do pensamento, do prazer e da emoção. Demos corda às palavras, construindo rimas (e/ou jogos de palavras) com letras e traços, palavras e encadeamentos, textos multiplicados, modelos e subversões.
Eu adorei o dia e mais uma vez comprovei que é preciso

VER CLARO
[porque]

Toda a poesia é luminosa, até
a mais obscura.
O leitor é que tem às vezes,
em lugar de sol, nevoeiro dentro de si
e o nevoeiro nunca deixa ver claro.
Se regressar outra vez e outra vez
e outra vez
a essas sílabas acesas
ficará cego de tanta claridade.
Abençoado seja se lá chegar.

Eugénio de Andrade (Os Sulcos da Sede, 17).

sexta-feira, 9 de julho de 2010

A ROSA DE "A MENINA DAS ROSAS"

Em Coimbra fazem-se coisas bonitas!
Rosas, muitas rosas, no parque verde da cidade, num desafio lançado pela Câmara, no âmbito das festas da Rainha Santa Isabel, a todos os agrupamentos.
Cada Agrupamento recebeu uma rosa.
A rosa do Agrupamento de Escolas da Rainha Santa (Pedrulha) foi decorada, pelos alunos dos 4º anos, a partir do meu livro "A Menina das Rosas".
Vejam o efeito final e visitem! Está um verdadeiro jardim florido!
Descubram a rosa da menina das Rosas!!!!!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

A CASA DA LEITURA RECOMENDA...

A CASA DA LEITURA da Fundação Calouste Gulbenkian incluiu o meu livro “A Rainha da Misericórdia”, com ilustrações de Sandra Nascimento, na sua "Montra" de títulos para “leitores medianos e leitores autónomos” com a seguinte sinopse, assinada por Gabriela Sotto Mayor:

A Rainha da Misericórdia é uma narrativa ficcional que tem como protagonista D. Leonor, rainha que muito contribuiu para impulsionar a criação das Misericórdias Portuguesas. Inserida nas comemorações dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde, João Manuel Ribeiro revisita a História de Portugal com o auxílio de alguns dados históricos – como a construção da Igreja Matriz de S. João Baptista, o Compromisso da Misericórdia aprovado pelo rei D. Manuel I ou a data da morte de D. Leonor, entre outros – como forma de contextualizar a narrativa e a «necessária tarefa de praticar a misericórdia, refazendo a dignidade da condição humana». As ilustrações, embora um tanto ou quanto presas ao texto, recriam com pormenor alguns monumentos, como é o caso da igreja Matriz de S. João Baptista e da Sé Patriarcal de Lisboa, sublinhando o carácter histórico da publicação. Espera-se que a sua leitura estimule os jovens leitores a alcançar a abrangência do repto que D. Leonor lançou e a sua ainda necessária aplicação na contemporaneidade, assumindo papéis sociais mais activos e interventivos. Gabriela Sotto Mayor

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS DE AGOSTO Leonor Riscado apresenta, na revista Pais & Flhos, do mês de agosto, o meu livro &qu...