segunda-feira, 22 de novembro de 2010

NO CORRER DOS DIAS...

Os dias têm sido pequenos para trazer aqui o registo dos caminhos percorridos, dos lugares visitados e dos acontecimentos produzidos.
Embora de forma breve, importa assinalar:
- a minha visita à EB 1 das Caxinas, em Vila do Conde, no passado dia 17 (Quarta-feira) para 3 minúsculas oficinas de poesia com seis turmas do 3.º ano;
- a festa que foi o encontro com os alunos da EB 1 de S. Martinho do Bispo, em Coimbra, com leitura, encenação, conversas e alegria, no dia 18 (Quinta-feira);
- a excelente conversa com as turmas do 5.º e 6.º anos da EB 2/3 de Fiães, em Santa Maria da Feira, na manhã de Sexta-feira, dia 19;
- a formação que desenvolvi para duas dezenas de educadores, professores e bibliotecários de Mirandela, no âmbito do Programa Itinerâncias, da DGLB, no Sábado, dia 20.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ANDAAAAAAAAAANÇAS...

- Dia 9, de novo no Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, desta vez na EB 2/3 de Oiã e no Centro Escolar da Palhaça, com os mais pequeninos do 1.º e 2.º anos. As preferências foram para os “Poemas da Bicharada” e “Eu fui o Menino Jesus”, entre outras.

- Dia 10, o encontro foi na EB 2/3 de S. Silvestre, nas margens do Mondego, primeiro com os mais velhos do 5.º e 6.º anos e depois com o 1.º Ciclo. Fiquei surpreendido ao ver como trabalharam os contos do meu “O Rapaz da Bicicleta de Vento e outras andanças”, nomeadamente “O Encanta Pardais voador”. Houve também tempo e lugar para dizer e cantar os “Poemas da Bicharada”.

- Dia 11, dia de S. Martinho, a visita foi à EB 1 de S. João do Campo, ainda nas margens do Mondego. Estive com todas as turmas da escola que apresentaram trabalhos diversos sobre os meus livros, explicando-os e dizendo como os textos e os poemas os surpreenderam. Ao almoço comi as castanhas da praxe. De tarde, estive com os mais pequeninos do infantário.
No regresso a casa, parei em Aveiro, no Colégio Português para dizer duas palavras de apresentação sobre o livro “Por Outras Palavras” de Henrique Pereira e Isabel Marina, editado pela Tropelias & Companhia.

- Dia 12, participei, pela 5.ª vez consecutiva, nos Encontros Luso-Galaico-Franceses. Desta vez participei numa mesa sobre a edição de antologias de poesia. Falei sobre “As Antologias de Poesia da Trinta Por Uma Linha”.

- Dia 13, estive em Vila Verde, Braga, com um grupo de 14 educadores e professores, a reflectir sobre o lugar da poesia na escola, no âmbito do Programa Itinerâncias da DGLB.

domingo, 14 de novembro de 2010

A CASA DA LEITURA RECOMENDA...

A CASA DA LEITURA da Fundação Calouste Gulbenkian incluiu o meu livro “O Rapaz da Bicicleta de Vento e outras andanças”, com ilustrações de Mara Madureira, na sua "Montra" de títulos para “ leitores medianos” e “leitores autónomos” com a seguinte sinopse, assinada por Gabriela Sotto Mayor:

O Rapaz da Bicicleta de Vento e Outras Andanças reúne pequenos contos. «O rapaz da bicicleta de vento» e «O Encanta Pardais voador» conheceram edições anteriores e «Ir num pé e voltar noutro», «Uma família com nuvens na cabeça» e «O Chora(&)Minga, uma viagem à infância» surgiram inspirados pelos primeiros, como refere o paratexto final da publicação. Um conto enaltece o sonho e a imaginação, outro ensina o valor das segundas oportunidades, outro apresenta um menino apaixonado por pés-de-vento, um apela à compreensão e aceitação das diferenças e um último oferece o milagre do contador de histórias. É de sublinhar a forma original como «Ir num pé e voltar noutro» foi apresentado, já que toda a narrativa está estruturada com recurso a expressões onde o pé tem o papel principal (leia-se «pé ante pé», «meter o pé em ramo verde» ou «pezinhos de lã», apenas para citar alguns). Esta estratégia torna a sua leitura um apelativo quebra-cabeças, facilitando ao leitor o contacto com a sabedoria popular de um modo simultaneamente divertido e didáctico. As ilustrações de Marta Madureira recriam espaços e personagens com leveza e a beleza estranha a que nos tem habituado. Gabriela Sotto Mayor

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

ANDANÇAS!!!

Esta semana que hoje termina visitei:

- O Centro Escolar de Oliveira do Bairro, na Terça-feira. Nesta escola, que visitei pela segunda vez, encontrei-me com 4 grupos do 1.º e 2.º anos daquele agrupamento. Os livros mais trabalhados foram “Algazarra de Versos”, “Cantilenas Loucas, Orelhas Roucas” e “Poemas da Bicharada”. Registo com agrado o trabalho de leitura prévia desenvolvido pelos professores e que faz toda a diferença na hora da conversa e do encontro.

- A EB 1 de S. Bento, em S. João de Ver, na Quinta-feira de manhã. Nesta escola, os alunos tinham preparado a recitação de vários poemas do livro “Cantilenas Loucas, Orelhas Roucas”, tendo sido absolutamente fabuloso ver como os alunos disseram, cantaram e representaram as cantilenas deste livro.

- A Biblioteca Municipal Trindade Coelho, em Mogadouro, na Sexta-feira. Nesta biblioteca tive oportunidade de desenvolver 3 breves oficinas de poesia para alunos do 4.º ano de escolaridade deste concelho transmontano. Apesar de o tempo ter sido muito curto e de ter ficado com a sensação de que se tratou de um “rebuçado”, entender ter valido a pena, pelo menos como motivação ou ponto de partida para a escrita da poesia.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

OFICINAS DE POESIA EM AMARANTE

Cerca de 3 dezenas de professores e educadores de Amarante estiveram comigo todos os fins de tarde nos passados dias 26, 27, 28 e 29, em duas oficinas de poesia: uma, "A Poesia vai à escola" e outra, "Os Mistérios da Escrita de Poesia para Crianças", promovidas respectivamente pela DGLB e pela Biblioteca Municipal.
A tarefa foi árdua e dura depois de cada dia de trabalho, mas, a avaliar pela opinião dos participantes, gratificante e motivadora para levar a poesia à escola e ao infantário e a explorar de forma consciente e educativa.

VER CLARO

Toda a poesia é luminosa, até
a mais obscura.
O leitor é que tem às vezes,
em lugar de sol, nevoeiro dentro de si
e o nevoeiro nunca deixa ver claro.
Se regressar outra vez e outra vez
e outra vez
a essas sílabas acesas
ficará cego de tanta claridade.
Abençoado seja se lá chegar.

Eugénio de Andrade (Os Sulcos da Sede, p. 17).

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS

O SEMÁFORO CHORÃO NA PAIS & FILHOS DE AGOSTO Leonor Riscado apresenta, na revista Pais & Flhos, do mês de agosto, o meu livro &qu...