LANÇAMENTO DE FÁTIMA NO CORAÇÃO

Fátima no coração:
"Tu és um ledor que escreve com o olhar de criança"


Está oficialmente lançado o primeiro livro infantil sobre Fátima, no âmbito das comemorações do Centenário das Aparições. Foi a 10 de junho, Dia de Portugal, mas também dia da Peregrinação Nacional das Crianças a Fátima, que o autor João Manuel Ribeiro e a ilustradora Patrícia Alves - Bolota -  se juntaram ao Reitor do Santuário de Fátima e ao Pe José Nuno Silva, capelão do Santuário, para uma agradável e rica conversa sobre a obra e sobre Fátima.
O reitor do Santuário de Fátima, Pe. Carlos Cabecinhas, relembrou a atualidade da mensagem de Fátima, sublinhando que a comemoração do Centenário das Aparições “tem como objetivo primordial dar a conhecer a mensagem e a espiritualidade de Fátima”. “No Centenário das Aparições foram feitas iniciativas específicas a pensar nos vários públicos, inclusive nas crianças, e neste âmbito a literatura tem uma palavra importante a dizer”. Nesse sentido, a obra ajuda “a descobrir Fátima através da Avó Amélia que lhes põe Fátima no coração”.
A apresentação do autor e do livro ficou a cargo do Pe. José Nuno Silva que referiu o facto da história sublinhar sempre a “ideia de liberdade  associada ao amor” e desta ser uma “ideia central na mensagem de Fátima, pela capacidade de sujeição e de liberdade como sacrifício”.
Tu és um ledor que escreve com o olhar de criança ”, afirmou o Pe. José Nuno, pelo facto de a obra apresentar um “argumento muito bonito, porque a figura central é uma avó, e uma das características principais dos avós é a largura e profundidade do Coração”. “A Avó assume amigos dos netos como seus, uma característica de Fátima, assumir os outros como meus”, porque “só o evangelho explica e ilumina Fátima e fazer a experiência de Fátima com uma avó faz todo o sentido”.
O capelão disse ainda que “os 100 anos de Fátima permitem olhar para outras histórias, nomeadamente a da humanidade com um fio condutor, porque quando tudo parecia violência, em Fátima abriu-se uma brecha de luz para o Coração Imaculado de Maria, porque tudo em Fátima remete para o amor”. Concluiu ainda dizendo que "Fátima é uma experiência de Deus que se dá ao coração das pessoas". E, por sua vez, o autor e a escritora, juntos, dão este "Fátima no Coração", aos mais novos mas também a todos aqueles que em família queiram (re)descobrir este local de culto e cultura.
João Manuel Ribeiro começou por revelar a surpresa que foi ter sido convidado para escrever a obra e admitiu a complexidade do processo de escrita, mas acabou por confessar que procurou fazer uma "história centrada na mensagem de Fátima”, e  de “um modo metafórico"  dizer que Fátima "é um lugar espiritual descoberto por sinais que ajudam os homens a se encontrarem consigo mesmos e com Deus”. E prosseguiu explicando que "Fátima no Coração" anda à volta de de três crianças tal como os três pastorinhos; são as crianças que dão o testemunho da descoberta da mensagem de Fátima e por isso a forma de comunicar foi  o diário de bordo e, finalmente,  a avó Amélia aparece aqui como sábia e mediadora da descoberta.
Patrícia Alves, a ilustradora cujo nome artístico é "Bolota" foi transparente : "É mergulhar na história e no texto e ir por aí fora. O texto do João fez-me redescobrir Fátima. Funcionou mesmo como uma visita guiada". Bolota mencionou que tentou ilustrar a obra também como um livro de aventura e descoberta, transmitindo essencialmente "serenidade" e criando "expectativa no leitor".
"O que se espera é que no final todos se sintam “cansados, mas em paz”. E nesta espécie de roteiro que o livro apresenta, nem mesmo a Procissão das velas fica esquecida. Constitui, aliás, um episódio forte da obra, fazendo recordar o 13 de maio, com milhares e milhares de pessoas a assistirem ao espetáculo de luz e recolhimento: «Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida». “Uma simbiose de culto e cultura é aquilo que neste livro podem encontrar os leitores”, concluiu João Manuel Ribeiro, autor com quase já uma década dedicada à escrita e com mais de 40 obras dedicadas aos mais novos e algumas dirigidas a adultos.


O autor, natural de Oliveira de Azeméis, mas a viver no Porto, já trabalhou com ilustradores reputados como João Vaz de Carvalho, Vasco Gargalo, Ricardo Rodrigues, Marta Madureira, Anabela Dias, Sara Cunha, Fedra Santos e até com a norte-americana katrina Kopeloff e o espanhol Xan López Domínguez. Este livro é ilustrado por Bolota, nome com que assina as suas obras a ilustradora Patrícia Alves. Além disso, o autor tem livros traduzidos na Colômbia e em Espanha e, brevemente, também na Itália e na Eslovénia.

Comentários

Mensagens populares