A POESIA? Como definir o inefável? (Parte 1)

Às terças, há poesia...

A escritora e poetisa Maria Alberta Menéres, num livro intitulado “O poeta faz-se aos 10 anos” define assim a poesia:

 (…) A poesia é a beleza e o sentido das coisas e de nós próprios.
É uma maneira de olhar o mundo.
É uma forma de atenção a tudo.
Ela pode estar em toda a parte: nós, às vezes, é que não estamos onde ela está, só porque passamos ou vivemos distraídos.
E outras vezes estamos e encontramo-la.
E outras vezes encontramos a poesia e não a sabemos escrever. (p.8)

Escrever poesia é, assim, “tentar ir à raiz das coisas. Fugir do repetido, do habitual, do “já sabido” (p.9)”. Trata-se de captar, agarrar com o coração e o pensamento o sentido das coisas e fazer descer esse sentido à folha, com a melhor das palavras para o dizer.

Em Síntese, a poesia, segundo Maria Alberta Menéres, é:
·        a beleza das coisas
·        o sentido das coisas
·        um sentimento (…)
·        a imaginação sensível das coisas
·        vivência, sabedoria, rigor
·        o amor pelas letras e pelo que elas podem
·        o amor pelas palavras e pelo jogo que as lança na aventura
·        poesia ideia e energia
·        comunicação e descoberta sempre renovada
·        poesia espanto
·        poesia texto
·        poesia poesia


Comentários

Mensagens populares