A poesia – um imperativo do essencial

Considerando que a poesia pode motivar os alunos, Georges Jean, no seu clássico livro de 1995, Na escola da poesia, afirma que «muitas vezes, a língua da poesia parece uma espécie de monstro… que, curiosamente, fascina a criança» (p. 135-136). O autor explica que o facto de a poesia ser um corpo de linguagem estranho ao comum e habitual, faz com que ocorra num primeiro momento a surpresa, o desconcerto e o aborrecimento, como se se tratasse duma «verdadeira língua morta», porque arcaica, reservada, incompreensível e «fora de moda». A este momento, porém, sucede habitualmente um outro, de fascínio e beleza
A leitura do texto poético exige uma respiração diferente do habitual, num exercício de decifração fonética, que, por causa do fôlego suspenso, da hesitação ou do medo de não saber ou inverter, acabamos por deixar de ver literalmente; e isto faz ver o poema de outro modo, com outra profundidade. 
A poesia, por força do ritmo e da musicalidade que lhe são inerentes, cativa a atenção dos ouvintes e dos leitores e convida-os a entrar na casa de sentido do texto poético. Nesta linha, Georges Jean fala da poesia como uma linguagem-sonho. Isto não significa que seja uma linguagem irreal, mas que é, antes, uma meta-linguagem no sentido de que «é muito mais do que a função poética da língua» e constitui-se como um «imperativo do essencial» (p. 57 e 36). O fascínio pela poesia passa, quase sempre, pela leitura/audição do poema, como Georges Jean mostra em outro livro célebre e já clássico, A Leitura em Voz Alta (1999).
Abordaremos em outro post este assunto. Para já, importa ressaltar que explorar a oralidade é a implementação da voz no poema. Trabalhar a oralidade é também e sobretudo aprender a ouvir: mobilizar  o corpo, os sentidos, fechar os olhos. 
Controlo do corpo leva à concentração estacionária. Controlo do corpo, respiração e voz são importantes para preparar uma forma de “sugerir” os poemas
Vários exercícios são possíveis, divididos em 5 aspetos, como se vê no quadro. 
É importante que sejam feitos com uma certa regularidade e durante um bom período de tempo.


O Corpo
Torne-se consciente do seu corpo no espaço, a expressão corporal através de exercícios de dança, o movimento…
A Respiração
Ser capaz de fazer um som de sua boca, brincando com intensidade, o trabalho da respiração…

A Voz
Trabalhar a força, como falar em voz alta enquanto estão longe do grupo ou parceiro e falar mais lentamente à medida… que se aproxima do grupo ou parceiro. Trabalhar sobre os diferentes sons que uma a voz pode fazer (falsete...)…

Articulação
Controlo da pronúncia, trabalhar a mandíbula (falar com um lápis apertado entre os dentes sem o fazer cair)…

Entonação
Trabalhar grandes emoções: medo, tristeza, raiva, timidez, alegria... brincar com as restrições de expressão…

Comentários

Mensagens populares