LIVRO DA SEMANA - A AVÓ QUE SONHAVA O MAR


Este A Avó que sonhava o mar, de Lurdes Breda e Joana Rita (Textiverso, 2017) é um daqueles livros que, primeiro, nos faz sorrir (pelo formato: capa mole, agrafado, tamanho pequeno), e depois, nos faz pasmar pela beleza da expressão poética, pelo modo como as palavras se tecem com as ilustrações, pela dimensão dos afetos, dos sonhos e do mar que a avó Maria sonha e (re)faz nos olhos azuis de Teresinha, «o céu com reflexo do mar» para Carolina.
Cedo se percebe que Teresinha é uma neta de pano, em cujos olhos a avó Maria (re)cria «um azul sem nuvens, com pássaros de papel e vento norte», avista «as velas dos barcos por entre as asas dos pássaros», para fazer chegar de forma mágica beijos, abraços, sonhos e o MAR a Carolina, a outra neta.
A interação entre os olhos azuis de Teresinha, as mãos que são ondas da avó Maria e o espanto de Carolina provocam no leitor uma explosão de vida e de cor que as ilustrações comprovam e que leitura demorada provoca e testemunha.
Fica assim provado que há muitas formas de ser avô, ser criança/neta/boneca.
Este livro é um ótimo miminho para «ler com / ler aos» avós na próxima terça-feira, dia dos avós.
Recomendo vivamente!

Comentários

Mensagens populares