A POESIA? Como definir o inefável? – III


No post de hoje continuamos a tentar o impossível, isto é, a procurar definir o inefável. 
Fazêmo-lo do modo mais seguro que existe, que é o de recorrer à própria palavras dos poetas. Estes são, de facto, quem melhor nos diz  que a poesia é / pode ser. A lista de possíveis definições que se segue é, inevitavelmente, incompleta, mas constitui um desafio a pensar a poesia, ou talvez melhor, a pensar poeticamente.

•  A poesia acontece quando uma emoção encontrou o seu pensamento e o pensamento encontrou as palavras. (Robert Frost)
•  A poesia é o melhor uso das palavras para dizer mais do que as palavras podem dizer. (Marvin Bell)
•  Podemos não saber o que a poesia é, mas reconhecemo-la quando a vemos. (Jean L’Anselme)
•  Nunca escrevi um poema de que conhecesse o fim. Um poema é descoberta. (Robert Frost)
•  Eu sei que a poesia é indispensável, mas não sei dizer para quê. (Jean Cocteau)
•  A poesia é a criação rítmica da beleza em palavras. (Edgar Allan Poe)
•  A poesia é a linguagem que ninguém fala, mas toda a gente entende. (Alfred de Musset)
•  Os poetas são como as crianças: quando se sentam na sua secretária, os seus pés não tocam o chão. (Stanislaw Jerzy Lec)
•  Na poesia… a ordem das palavras é a ordem do teu coração. (Pedro A. Rosado)
•  Um poema pode comunicar antes de ser entendido. (T. S. Eliot)
•  A poesia é um eco pedindo a uma sombra para dançar. (Carl Sandburg)
•  A poesia é pensamento que respira e palavra que arde. (Thomas Grey)
•  A poesia não pode ser definida, só experienciada. (Christopher Logue)
•  A poesia é como uma ave, ignora todas as fronteiras. (Yevgeny Yevtushenko)
  Todas as coisas têm o seu mistério, e a poesia é o mistério de todas as coisas. (Federico Garcia Lorca. In Conversa Sobre o Teatro)
•  A poesia é ao mesmo tempo um esconderijo e um altifalante. (Nadine Gordimer. In Poema)
•  A poesia numa obra é o que faz aparecer o invisível. (Nathalie Sarraute)
•  A arte apenas faz versos, só o coração é poeta. (André Chénier. In Elégies)
•  Prosa: palavras na sua melhor ordem; poesia: as melhores palavras na melhor ordem. (Samuel Coleridge. In Table Talk)
•  A poesia é um nexo entre dois mistérios: o do poeta e o do leitor. (Dámaso Alonso)

[...] A poesia é como os óculos. É para ver melhor. Porque os nossos olhos não aguentam mais, estão cansados, desgastados. Acreditem-me, todas essas pessoas ao vosso redor têm os olhos abertos, e portanto, pouco a pouco, sem se darem conta, tornam-se cegos. Só há uma solução para salvá-los: a poesia. Esta é a cura milagrosa: um poema e os olhos ficam novos. Como os das crianças. Ainda sobre as crianças, tenho também um conselho a dar: as vitaminas A, B, C, D não são suficientes. Se queremos que elas cresçam ser perder os seus olhos mágicos, é preciso administrar-lhes um poema por dia. Pelo menos. (Jean-Pierre Siméon, La vitamine P)

Comentários

Mensagens populares