Dar corda às palavras - 3

Continuamos a dar corda às palavras. Hoje, vamos divertir-nos com palavras…

Pode fazer-se poesia brincando com as palavras, fazendo-as crescer ou diminuir, com capicuas, descobrindo e destacando palavras escondidas nas palavras e trocando as sílabas ou mesmo misturando palavras.

Alguns exemplos:

1. Palavras crescentes e decrescentes…

MAR
AMAR
AMARA
AMARAR
ARMAR
REMAR


2. Palavras capicua

AVESSOS

1.
O amor é romã
e amar é rama
ou ramos a somar
mais aroma à amora.

2.
Ana é anã.
Lena é anel.
Eva é ave.
Lina é anil.
Raúl é luar.
Saúl é luas.

João Manuel Ribeiro (Inédito)

3. Palavras escondidas e troca de sílabas

ESTRANHOS BICHOS

O Tubarão
é o barão
da tuba?

A Girafa
só gira para fá
e não pra cá e lá?

O macaco
caiu da maca
e ficou um caco?

João Manuel Ribeiro (Inédito)

4. Mistura de palavras (troca de sílabas)

GIGÕES E ANANTES

Gigões são anantes muito grandes.
Anantes são gigões muito pequenos.
Os gigões diferem dos anantes porque
uns são um bocado mais outros são um bocado menos.
Era uma vez um gigão tão grande, tão grande,
que não cabia. – Em quê? – O gigão era tão grande
que nem se sabia em que é que ele não cabia!
Mas havia um anante ainda maior que o gigão,
e esse nem se sabia se ele cabia ou não.
Só havia uma maneira de os distinguir:
era chegar ao pé deles e perguntar:
Mas eram tão grandes que não se podia lá chegar!
E nunca se sabia se estavam a mentir!
Então a Ana como não podia
resolver o problema arranjou uma teoria:
xixanava com eles e o que ficava
xubiante ou ximbimpante era o gigão,
e o anante fingia que não.
A teoria nunca falhava porque era toda
com palavras que só a Ana sabia.
E como eram palavras de toda a confiança
só queriam dizer o que a Ana queria.


Manuel António Pina (O Têpeloquê)

Comentários

Mensagens populares