DICA DE LEITURA - A MENINA DOS LIVROS

Oliver Jeffers: cada livro, cada surpresa. Partilhando desta vez autoria com Sam Winston, este "A Menina dos Livros" é um livro em defesa das histórias, como se percebe desde a epígrafe de abertura: "o universo é feito de histórias, não de átomos" (Muriel Rukeyser, The speed of Darkness, 1968). A história, barrada na primeira pessoa, não deixa dúvidas sobre quem fala este livro e qual o seu objectivo: "eu sou a menina dos livros. Venho de um mundo de histórias (...) Naveguei pelo mar das palavras para te perguntar se queres vir comigo."
Presumido que o convite foi aceite, apresenta-se um conjunto poético de razões para viajar pelas histórias (entenda-se: para ler): "vamos ter de viajar por montanhas de faz-de-conta", "vamos descobrir tesouros na escuridão", "perder-nos em florestas de contos de fadas e escapar de monstros em castelos assombrados", "dormir em nuvens de canções e gritar muito alto no espaço sideral". Feita a viagem, apresentam-se três conclusões (ou benefícios da leitura): "porque este é o mundo que nós construímos a partir das histórias... A nossa casa é uma casa de invenção onde toda a gente pode entrar. Porque a imaginação é livre". Associada à ilustração, a afirmação final da liberdade da imaginação nas histórias para ser a chave para ler o mundo.
Um surpreendente livro, textual e visualmente, para mostrar aos pequenos leitores por que razão é importante ler (ouvir e escrever) histórias.

Oliver Jeffers & Sam Winston (2017). A menina dos livros. Lisboa: Presença.

Comentários

Mensagens populares