DIca de Leitura - Posologia da Vitamina P

O poeta francês Jean-Pierre Siméon, no livro A Vitamina P – A poesia porquê, para quem, como? escreve:

A poesia é como os óculos. É para ver melhor. Porque os nossos olhos não aguentam mais, estão cansados, desgastados. Acreditem-me, todas essas pessoas ao vosso redor têm os olhos abertos, e portanto, pouco a pouco, sem se darem conta, tornam-se cegos. Só há uma solução para salvá-los: a poesia. Esta é a cura milagrosa: um poema e os olhos ficam novos. Como os das crianças. Ainda sobre as crianças, tenho também um conselho a dar: as vitaminas A, B, C, D não são suficientes. Se queremos que elas cresçam ser perder os seus olhos mágicos, é preciso administrar-lhes um poema por dia. Pelo menos.

Ler poesia é, segundo o poeta francês, uma cura para o estrabismo, a miopia, a cegueira, a que as palavras do dia a dia, gastas e contaminadas pelo cansaço (e mau uso) da informação.  Solução? Ler poesia, todos os dias.

O poeta espanhol António A. Gomez Yebra acrescenta:

A poesia torna-nos mais ternos, mais sãos, mais afetuosos, mais atentos aos problemas que nos rodeiam, mais abertos aos outros e também mais respeitadores deste planeta que temos entre mãos.
A poesia (...) é o sal da terra, o mel, e, às vezes, saudável tintura, tão necessária para sarar as feridas.

A poesia tem muitos e bons efeitos secundários. Deve ler-se QB para temperar a vida quotidiana e não há registos de qualquer dano por sobredosagem. É uma vitamina de que pode abusar-se...

Boas leituras!

Comentários

Mensagens populares