Livro da Semana - Faz-de-conta


A expressão “faz-de-conta” é de tal modo polissémica que são vários os livros que dele falam, como, por exemplo, Bichos faz-de-conta, de Maria da Conceição Sousa Vicente, com Ilustrações de Margarida Botelho e André da Loba (Porto Editora, 2008), O País de faz-de-conta, de João Manuel Ribeiro, com ilustrações de Bolota (Trinta por uma linha, 2017)e Faz-de-conta, de Clara Cunha, com ilustrações de Rachel Caiano (Livros Horizonte, 2016).

Hoje é este último que recomendamos como sugestão de leitura.
O faz-de-conta deste excelente livro não se relaciona com os bichos, algum país ou qualquer outra realidade. É tão só e apenas o faz-de-conta: de uma mãe / rainha  que chega ao quarto de uma menina, pequenina, princesa, a fazer-de-conta que não a sentiu chegar, sendo informada de que está um belo dia para brincar ao faz-de-conta; de uma casa que é um castelo, de um pai que é rei, de uma mãe que é rainha, de um cão que é um urso (que inclusive vai à escola e é bom aluno), e de um pónei que leva e traz a princesa da escola.
Este faz-de-conta, não sendo propriedade de ninguém, é, sobretudo, atributo da menina (e nela, de todas as crianças), como se fosse um direito que lhes assiste. Disso somoa informados no parágrafo derradeiro: “Quando chegar a casa – diz a menina/ princesa – a minha rainha, o meu rei e o meu urso voltarão a ser o que eram. Mãe, pai e cão. Eu vou continuar a ser uma princesa, no meu castelo!”
As ilustrações de Rachel Caiano adensam o faz-de-conta, “mostrando” a menina / princesa em diálogo vivo (e colorido) com os seus interlocutores e com uma multiplicidade “objetos” que, de certo modo, nos dizem  como e em que medida o faz-de-conta e a realidade se interpenetram.
Um fantástico livre sobre o direito a fazer de conta! Um excelente hino à imaginaçãoo e à fantasia.  Recomendo vivamente! A não perder!

Comentários

Mensagens populares