Dicas de Leitura que um livro me sugere...


Na passada sexta-feira, sugeri o livro Franklin e a livraria voadora, de Jen Gampbell e Katie Harnett, como sendo uma belíssima metáfora sobre o prazer de ler!
Hoje, a partir da estória, gostaria de (nos) propor algumas dicas:

1 – O prazer de ler é pessoal e intransmissível
Ler é uma experiência individual, que faz cada um. Mesmo quando feita em grupo, não anula a perceção individual de cada leitor. Porque o texto literário é aberto, polissémico e, por isso, suscetível de múltiplas leitores e interpretações. Depois, o texto literário costuma reivindicar do leitor uma resposta emotiva global e envolvente.

2 – Ler é a melhor estratégia de motivação à leitura
Sendo uma experiência pessoal, ainda que dela falemos com emoção e prazer, é incomunicável. Neste contexto, o melhor a fazer é ler diante de, para, com… A melhor estratégia de motivação é ler para e com os outros. Trata-se de motivar por osmose, por contacto, por testemunho… (Franklin lia em voz alta para toda a gente ouvir…)

3 – Ler com outros leitores
Ler com os outros, em grupos ou clubes de leitura, pode ser importante e decisivo para fazer leitores, se tivermos em conta as duas dicas anteriores. Não se trata de conquistar (no sentido bélico do termo) leitores, mas antes de fazer ou «gerar» leitores e esse é um trabalho, um processo, árduo e interminável. Para não cairmos no desânimo, devido à dificuldade da tarefa, precisamos de conjugar esforços (como aconteceu com Franklin, o fragão, e Luna, a Menina).

4 – Ler como e onde for preciso
É comum associar a leitura aos livros e às bibliotecas, confundindo a meio e o lugar com o essencial, a leitura. Franklin e Luna abriram uma livraria num lugar bizarro e inóspito, as costas do dragão, para nos dizer que qualquer meio e lugar podem ser adequados para se promover a leitura. Às vezes, por comodismo ou tradicionalismo, queremos que os (novos) leitores de hoje repliquem as formas de leitura do passado (e de sempre). Também neste aspeto há que estar abertos à novidade e ao inesperado. Pode ler-se no Metro, no Autocarro (e na Paragem), no Comboio, na Café, no Restaurante, em cima de uma árvore ou de um telhado…

5 – Ler por prazer
Ler SEMPRE por prazer, mesmo quando não apetece ou não parece possível. O prazer não é imediato, o prazer estimula-se e aguça-se; às vezes, nasce da teimosia. Quem lê por prazer deseja que os outros façam esta experiência. Quem lê faz das tripas coração para que outros leiam. Quem lê abre livrarias onde for preciso…

Boas Leiuras!

Comentários

Mensagens populares